facebook googleplus Sem título-1playSem título-1Sem título-1twitter whatsappyoutube
Notícias

Visitantes da BGS 2016 poderão jogar Gwent durante o evento

Se você é fã ou simplesmente gosta de The Witcher 3 — Wild Hunt, atenção para esta que pode se tornar uma das melhores experiência da Brasil Game Show deste ano: o jogo de cartas Gwent, que você conhece durante o Gameplay de Witcher, vai estar disponível em versão beta na maior feira de jogos da América Latina.

Se você joga a expansão Blood and Wine desafie todo mundo para obter o deck de Skellige
Se você joga a expansão Blood and Wine desafie todo mundo para obter o deck de Skellige

Entre os dias 1 e 5 de Setembro, o jogo produzido pela CD Projekt Red poderá ser testado (já em português) em mais de 30 estações em um estande de 300 m² da produtora. Além de jogar, o público poderá também acompanhar algumas intervenções artísticas, tirar fotos com cosplayers internacionais, conhecer o youtuber Zangado – na sexta-feira – e participar de uma showmatch ao vivo com o pessoal do Jovem Nerd e do Coisa de Nerd.

Uma curiosidade: Gwent também está presente nos livros que inspiraram a trilogia de jogos The Witcher. Em um dos muitos momentos em que Geralt está procurando por Ciri com seus companheiros de viagem, ele ouve um conjunto de vozes um pouco exaltadas e decide se aproximar. Ao descobrir de que se tratava a gritaria, ele percebe que seu amigo Zoltan Chivay está jogando baralho com alguns outros anões. Ao ver o bruxo, o anão explica se tratar de um jogo de cartas chamado Gwent. No entanto, o baralho que eles utilizam no livro é semelhante ao do nosso mundo: cartas com números ou figuras que possuem 4 nipes.

Para aqueles que não chegaram a jogar Witcher, mas gostam de um jogo de cartas, aqui vai uma breve explicação: em Gwent duas pessoas duelam para vencer duas de três rodadas, o que dá fim ao jogo. As cartas são inspiradas nos personagens do Game e o poder individual de cada uma delas se baseia nas habilidades que cada personagem tem no jogo Witcher.

Do lado de cima estão as forças de Skellige e abaixo temos os Reinos do Norte
A carta de número 7 do jogador de cima é a Yennefer, uma das heroínas presentes em Gwent

Durante a partida, os jogadores não atacam e nem se defendem, eles apenas buscam obter a maior pontuação possível considerando todas as cartas em campo. Já que cada carta tem uma determinada força que é representada por um número, a soma dos números presentes em cada carta do seu lado do campo representa o total de pontos que você conseguiu fazer na rodada. Quem tiver mais pontos ganha.

No entanto, todas as partidas possuem variáveis importantes como as habilidades especiais de alguns heróis e as cartas de líder e de clima, que podem alterar as condições de batalha a favor ou contra um determinado grupo de cartas. Não vamos conseguir explicar tudo aqui, mas é um jogo bem interessante.

O básico nós já explicamos. Cabe a você decidir se vale a pena ir atrás do jogo ou não
O básico nós já explicamos. Cabe a você decidir se vale a pena ir atrás do jogo ou não

Aliás, vale lembrar que existem variações de baralho que incluem um determinado grupo de cartas. Se o seu baralho é dos Reinos do Norte, por exemplo, você não poderá usar a carta de Hjalmar, porque ele é um personagem de Skellige. Depois da última expansão do jogo, Blood and Wine, Witcher 3 passou a contar com  5 decks: Os Reinos do Norte, os Monstros, o Império Nilfgaardiano,  os Scoia’tael e as ilhas de Skellige.

Compartilhe:

Comentários: